Assim que aparecer uma ideia tome nota!

De onde vem as ideias? Não me refiro as ideias aleatórias, mas as boas. Os mais espertalhões vão dizer: “da cabeça né seu sonso?”, mas não é por esse lado que eu quero levar este texto. Vou lhe contar o que eu faço para ter boas ideias, e mais, o que eu faço para elas se manterem frescas o suficiente para executa-las quando forem possíveis. Falo sobre possibilidade, pois todos nós sabemos das dificuldades financeiras, técnicas e organizacionais que enfrentamos diáriamente. Infelizmente, boas ideias exigem certos recursos que, no dado momento, inviabilizam que o processo criativo “deixe o papel”.

1. Tome notas:

Parece besteira, mas o costume que os jornalistas tem de anotar tudo que as pessoas falam, as próprias ideias  e até cenários, não é por acaso. Algumas pessoas possuem a facilidade de lembrar de coisas que viram, sentiram ou tocaram, mas todos nós possuímos imperfeições. Uma delas é a capacidade de lembrar exatamente tudo que aconteceu em um dado momento e local. Coisa que, na minha opinião, é impossível de se fazer nos dias de hoje. Temos tantas atrações para nos distraír, que muitas vezes as nossas ideias se diluírem no meio de tanta informação. Acaba que, as vezes, um papel e um lápis fazem falta. – eu sempre carrego comigo um “livro de ideias”, nele eu escrevo todas as ideia interessantes que vem na minha cabeça. Te estimulo a ter algo do tipo, e que este artifícil esteja contigo sempre. 

2. Mais do que tomar notas, grave a sua voz:

Acredito que um gravador de voz seja mais utilizado por um jornalista, um profissional que zela pela fidelidade das informações. Mas e fora da profissão de comunicador? Para que serve um gravador? Eu gosto muito de ouvir rádio, música, escutar poadcasts e etc, e este gosto por sons, me instigou a comprar um gravador para que, além de tomar notas, o ato de gravar a minha voz seja um complemento para o meu aprendizado. Algumas pessoas aprendem melhor escrevendo, só lendo, ouvindo, assistindo ou interagindo, e todos os nossos sentidos participam deste processo de absorção de informação. – atualmente eu estudo inglês com um gravador de voz perto de mim, utilizo o dispositivo, principalmente, para treinar a minha pronunciação. Mas para além do estudo, você pode utilizar o gravador para registrar as suas ideias repentinas, no ônibus, na praça, ou até durante a aula. 

3. Leia, leia e leia:

A leitura é uma ferramenta mais do que poderosa para adquirir conhecimento para o desenvolvimento de novas ideias. Não adianta você ser uma pessoa criativa se “o saco está vazio”. Ter acesso à informação é algo relativamente tranquilo nos dias de hoje. Mas ser capaz de interpretar aquela informação ao ponto de instigar o desenvolvimento de novas ideias, é uma tarefa que leva tempo, disposição e até um pouco de sorte. – ao escrever este texto, eu precisei de abrir uns três jornais online para vir a inspiração de lhe aconselhar a tomar nota das suas ideias. A inspiração não veio destes sites, mas do ato de olhar para o lado e ver meu carderno de ideias. Uma dica: estímulos geram ideias! 

4. Por falar em estímulo…

Eu sou uma pessoa muito preguiçosa. E esta preguiça reflete em uma série de coisas que eu faço durante o dia. Seja na leitura de um romance, seja durante o trabalho e até na cadeira da faculdade. Eu sou uma pessoa essêncialmente noturna. Acordo às 10 horas e durmo às 3 horas da manhã. Meu cérebro só compreende que eu preciso de prestar atenção em algo, quando eu tomo um bom gole de café. Daí, vem o estímulo. – eu não o aconselho a consumir café de forma desordenada, pois caso você não saiba, a cafeína é um estimulante corporal que possui a função de reaproveitar as energias do corpo, o mesmo vale para o energético. Se você está cansado, e não teve uma boa noite de sono, nada no universo será capaz de lhe dar energia suficiente para abosorver algum tipo de informação. Descanse, concentre e tenha boas ideias!

5. A pressa é inimiga da perfeição. E das ideias também:

“Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”, já diziam os sábios. Eu não sou a pessoa mais passiente do mundo. Muito pelo contrário, sou o tipo de ser mais estressado que a natureza já teve notícia. E as vezes o acúmulo deste sentimento impede que eu tenha boas ideias. Pior do que isso, bloqueia certos tipos de informações que poderiam ser úteis não somente no campo das ideias, mas na prática do dia a dia também. – seja calmo com o que faz. Não sinta-se afobado para terminar um projeto, um estudo, um desenvolvimento de um trabalho ou ideia. Caso se sinta estressado com algo, leia um bom livro, é comprovado que a leitura é capaz de relaxar o corpo e a mente.

Espero que com estas dicas você possa criar, inventar e desvendar muitas ideias. Brevemente irei escrever sobre alguns livros que podem ajudar a você ter dias melhores e mais criativos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s