Todos os posts de Redação

Social Nerds: Conheça a mídia social voltada para o público geek

 

Com o intuito de ser um espaço onde amantes de animes, séries, HQ’s, RPG e games, A plataforma Social Nerds, foca na segmentação, voltada a comunidade geek, otaku e assuntos da temática nerd, e visa a propagação de um espaço onde eles possam se comunicar, trocar informações, fazer amizades, vender ou comprar itens do segmento e o mais importante: se relacionar.

O cadastro pode ser realizado por e-mail ou via Facebook. Nela, é possível fazer postagens como escrever artigos, enviar perguntar, compartilhar, postar fotos e vídeos, além do share para Facebook, Twitter e LinkedIn. Do lado direito fica os anúncios de lojas virtuais e do lado esquerdo, as opções de interação, como grupos (classificados por filmes, séries, RPG, games, animes, etc), calendário de eventos, área de perguntas, loja virtual, entre outros. Para quem quer anunciar, existe logo abaixo no mesmo local, uma área de anunciantes, onde você é transferido para uma página com os planos, do Economic ao Premium.

Desenvolvida há um ano e lançada há três semanas, a plataforma Social Nerds, desenvolvida em Curitiba pelos desenvolvedores Diniz Fiori e Hassib Zebian na agência e5 Web é um projeto de mídia social segmentada.  Diniz conta que é uma forma de aproximar pessoas de diversas partes do país para uma mídia onde tudo é voltado para esta comunidade. “Acreditamos que as redes segmentadas estão ganhando mais visibilidade por se tratarem do mesmo interesse entre os usuários. Agora podemos ajudar os usuários e amantes do Mundo Nerd a se conectar com novas pessoas, descobrir eventos e partilhar experiências”.

socialnerds

Origem

“Por muito tempo, eu, após o expediente pensava como iniciar um projeto onde tenha uma oportunidade para mim e ao mesmo tempo interessante para o usuário. Nisso, me veio a ideia de uma rede social segmentada para o público nerd, pois esse público precisa muito de um espaço só para eles partilharem suas ideias, seus eventos e além disso, é um público muito grande e bacana, e eu adorava esse tipo de evento nerd, a partir desse dia comecei trabalhar todos os dias na ideia, estudando, melhorando e aperfeiçoando”, explica Hassib. Mas ele não poderia fazer isso sozinho. Ele precisava de ajuda. “Após o andamento do projeto, me deparei com o Diniz Fiori, onde eu já trabalhava em parcerias com ele, apresentei o projeto a ele e a equipe começou a desenvolver a rede social nerd. Para nós essa rede é uma grande conquista”, declara.

Experiências

Com 80% dos feedbacks positivos, o Social Nerds tem como planos avançar na usabilidade para o usuário. “Vamos buscar sempre modernizar a rede de acordo com inovações futuras, melhorando a usabilidade do usuário e deixando cada vez mais atrativa”, finaliza Diniz.

Mídias sociais segmentadas para públicos em específico tem como intuito a aproximação, a chance de reunir pessoas de diferentes lugares a se conectarem e estabelecerem um relacionamento de acordo com um tema em comum. Fazer amizades onde eles “falam a mesma língua” e se sentirem à vontade com suas experiências, vocabulário, atividades e interesses em comum. E estamos cada vez mais ganhando esses canais.

Ficou curioso? Então é só acessar: socialnerds.com.br

14224709_1611614125804936_1376335643106815233_n

Grupo de dança Cia Impacto Urbano realiza apresentação neste fim de semana

Juiz de Fora vai ficar agitada com a performances de dança urbana “De Corpo e Alma”, da Cia Impacto Urbano no próximo sábado, 18 às 18h e domingo, 19 às 17h na praça CEU, situada na região norte da cidade. O evento tem como intuito mostrar à população o talento de jovens que se dedicam a arte e levam seu trabalho por toda região da Zona da Mata. Os ingressos serão vendidos no local da apresentação a 10 reais.

IMG-20160615-WA0002

Com influências da ginástica artística, da dança contemporânea e do hip hop dance, o primeiro espetáculo da Cia. Impacto Urbano surgiu da inspiração da criação do universo e da humanidade, dando continuidade a sua evolução cultural e seus mais profundos questionamentos existenciais. A influência africana no enredo nasce da necessidade de entender os mistérios do povo-mãe, suas formas de se relacionar com a natureza e com o sagrado e os traços que o unem ao Brasil. As formas de resistência e sobrevivência do ser humano são abordadas através de um estilo híbrido, com fragmentos de dança afro, dança urbana e dança contemporânea.

Com direção geral de Sandro Soares, o grupo conta com 10 dançarinos, quatro assistentes técnicos e, desde então, vem colhendo frutos. os profissionais conquistaram o Tricampeonato de Street Culture Hip Hop Internacional e representou o país no World Hip Hop Championship em Las Vegas por dois anos consecutivos. Além disso foram premiados em diversas edições do Festival Mercosul de Danças e venceram o Campeonato Internacional de Danças H2Beat.

IMG-20160615-WA0004

A origem do grupo Cia. Impacto Urbana

Em 2007, o técnico e coreógrafo Sandro Soares reunia um grupo de jovens oriundos de escolas públicas e moradores de áreas populares da cidade de Bom Jardim, região serrana do estado do Rio de Janeiro (RJ), para realizar uma leitura particular sobre danças urbanas. Atualmente, a companhia segue realizando apresentações em várias cidades na região sudeste do país, recebendo apoio de empresas como Subway, Bendita Gula e Padaria Brasil.

IMG-20160615-WA0010

Grupo “Quem Sou Eu” apresenta peça teatral no Festival Cenas Curtas

Com texto e direção de Taysa Ferreira, a “Quem Sou Eu” Produções, que ganhou o prêmio destaque em 2014 pela cena “Quem Sou Eu”, investe este ano na cena autoral “Apesar de Você” durante o 7° Festival Cenas Curtas, em Juiz de Fora (MG).

A obra, que tem como pano de fundo a época da ditadura, acontecerá nesta sexta-feira, 20, às 19h30 no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas, localizado na Avenida Getúlio Vargas, 200.

Continuar lendo Grupo “Quem Sou Eu” apresenta peça teatral no Festival Cenas Curtas

“Treslocados” discutem cultura mineira no YouTube

Sim, eles cantam, dançam, gritam, tocam, se beijam e fazem todos rirem. Essa é a dinâmica do projeto “Treslocados” canal do YouTube feito pelo ator Marlon Severo e pela musicista Lizandra Romano. Os assuntos dos vídeos tratam sobre a rotina dos profissionais de arte, os desafios de quem vive do mundo artístico e sobre a cultura de Juiz de Fora (MG), com o objetivo de destacar o melhor do teatro, da música, do cinema da cidade.

Eles pararam um pouquinho para conversar sobre os próximos passos do projeto. Vamos lá?

12210972_1845799848979650_1699996020_o Continuar lendo “Treslocados” discutem cultura mineira no YouTube

Proposições fotográficas, o corpo: entre o ilusório e o real é mais nova mostra fotográfica de Juiz de Fora

11973340_10204901066865991_1807012426_o

Produzida pelas artistas Lizandra Romano e Maria Vitória Resende, as 16 obras fotográficas estarão disponíveis para apreciação no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM), entre os dias 17 de setembro a 12 de outubro. Continuar lendo Proposições fotográficas, o corpo: entre o ilusório e o real é mais nova mostra fotográfica de Juiz de Fora

O que esperar do VMA este ano?

Mtv-vma-2015-logo

Um clique, dois cliques, um bilhão de cliques no site oficial da MTV para definir quem levará o “Moon Man”, prêmio símbolo do Music Video Awards (VMA), uma das premiações da música mais assistidas desde os anos 80, quando foi lançada. Uma forma de premiar quem produziu os melhores videoclipes do ano, além de homenagear cantores que mudaram a indústria fonográfica com suas performances nos vídeos. A festa desse ano acontece neste domingo, 30, em Los Angeles, e terá anfitriã a rainha do “twerk” e dos seios de fora, Miley Cyrus. Continuar lendo O que esperar do VMA este ano?

Nostalgia: se lembra dos MP3, MP4, MP5, MP6?

Eram tantos! Até o final da década passada, tínhamos vários desses aparelhos que eram febre entre o público de 15 a 30 anos. Com o tempo, foram substituídos pelos smarthphones e outros gadgets. Assim como atualmente é moda trocar os modelos do iPhone, era uma prática trocar os “Mp’s” conforme iam surgindo os lançamentos. Hoje ele não são tão lucrativos, devido a existência de aparelhos que oferecem serviços de streaming e On Demand, que atualmente representam 51% das vendas digitais no Brasil.

Após esta introdução… uma curiosidade…

Já se perguntou por que existem apenas aparelhos multimídia a partir do número 3? Onde estão o MP1 e MP2? De acordo com o portal Olhar Digital, o MP1 e MP2 são formatos de compressão de arquivos de áudio que recebem, respectivamente, as extensões “.mp1″ e “.mp2″. Eles apresentam uma baixa qualidade nos arquivos comprimidos e também uma alta taxa de compressão. Devido a esses fatores, o MP1 e o MP2 não são muito utilizados para áudio. Nos anos 90, eles serviram para atender algumas necessidades de aparelhos de TV.

Então, vamos relembrar? Continuar lendo Nostalgia: se lembra dos MP3, MP4, MP5, MP6?